Registre a sua doação

Doação de sangue

Dúvidas frequentes

Assuntos mais procurados

O que é preciso para doar

Idade mínima

Jovens a partir dos 16 anos já podem doar caso tenham autorização do responsável. O modelo estará disponível no hemocentro.

Peso

Para doar sangue, você deve pesar mais de 50kg.

Documentação

Portar documento oficial e original de identidade com foto e dentro do prazo de validade (RG, Carteira Profissional, Carteira de Habilitação).

Restrições para doação de sangue

Tomei vacina, posso doar sangue?

Caso tenha tomado vacina contra gripe, deve-se aguardar 48h; as demais vacinas com bactérias/vírus vivos, por exemplo sarampo e febre amarela, deve-se aguardar 4 semanas. Caso tenha tomado vacina do COVID, deve-se aguardar: 2 dias (Coronavac) e 7 dias (AstraZeneca, Janssen e Pfizer)

Tenho tatuagem, posso doar sangue?

Você poderá doar caso a tatuagem tenha sido feita há mais de 12 meses.

Tive hepatite, posso doar sangue?

Se tiver contraído hepatite após os 11 anos de idade não poderá doar.

Tive contato ou tive COVID, posso doar sangue?

Ministério da Saúde (MS) e a Anvisa atualizaram os critérios técnicos para a triagem clínica de candidatos à doação de sangue com risco de infecção pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da Covid-19.
As informações estão contidas na Nota Técnica (NT) 4/2022, que revoga a NT 13/2020 e de acordo com o documento, candidatos à doação de sangue com diagnóstico ou suspeita de Covid-19 e que apresentaram sintomas da doença, mesmo nos casos leves ou moderados, serão considerados inaptos por um período de 10 dias após a pessoa ter completa recuperação da doença.

Publico LGBTQIAPN+ pode doar?

Desde o ano de 2020, o Supremo Tribunal Federal retirou a restrição que proibia a discriminação de doadores de sangue com base na orientação sexual.

Ser um doador de sangue

De quanto em quanto tempo posso doar sangue?

Homens podem doar sangue até quatro vezes por ano, com intervalo de 60 dias entre cada doação. Mulheres podem doar três vezes ao ano, com intervalo de 90 dias.

O que é feito com o sangue doado?

Depois que o processo de doação é concluído, tubos com amostras são enviados para laboratórios que irão analisar se o sangue pode mesmo ser doado e bolsas são encaminhadas para o setor de processamento do sangue. O serviço de hemoterapia vai dividir esse sangue em componentes:

Eritrocitários: concentrados de hemácias, indicados para tratar anemias e hemorragias agudas;

Plaquetários: utilizados para reposição nos casos em que os baixos níveis desse componente colocam o paciente em risco de hemorragia; Plasmáticos: indicados no tratamento de pacientes com distúrbios de coagulação, como púrpura trombocitopênica.

Simultaneamente são realizados testes com as amostras para detectar a presença de sífilis, hepatites B e C, doença de Chagas, HIV I, HTLV I e II, além de testes imuno-hematológicos, que identificam o tipo de sangue e suas características específicas. Enquanto os resultados dos testes não chegam, as amostras ficam armazenadas temporariamente em local refrigerado. Esse processo é chamado de quarentena. Só são liberadas as bolsas com resultados não reagentes/negativos para os testes sorológicos e para os testes de detecção de ácido nucleico viral (NAT).

Após a obtenção dos resultados dos exames, os hemocomponentes são liberados e, em seguida, são emitidos rótulos com informações relacionadas à coleta e à liberação. Há regras específicas de armazenamento que os bancos devem seguir, como: glóbulos vermelhos (hemácias) são armazenados em geladeira, a temperaturas entre 2º C e 6º C. As plaquetas são guardas em temperatura ambiente, entre 20º C e 24º C, e o plasma é armazenado congelado à temperatura de 18º C negativos. Cada hemocomponente possui uma validade. As plaquetas, por exemplo, só podem ser utilizadas por cinco dias após a coleta do sangue. O plasma congelado, por sua vez, dura até um ano; glóbulos vermelhos, cerca de um mês.

Fonte: https://drauziovarella.uol.com.br/hematologia/o-que-acontece-com-o-sangue-apos-a-doacao/

Dói muito doar sangue?

É como retirar sangue para fazer exame. O paciente irá sentir aquela velha “picadinha”, que é inevitável, mas o sistema de retirada é indolor.

Seus dados

O que o Santander fará com meus dados?

Seus dados serão usados exclusivamente para comunicar sobre novas campanhas e informações sobre doação de sangue. Não utilizaremos para outros fins.